5 dicas para evitar problemas quando o assunto é viajar de avião
Connect with us

5 dicas para evitar problemas quando o assunto é viajar de avião

dicas-viajar-de-aviao

Utilidades

5 dicas para evitar problemas quando o assunto é viajar de avião

Quem viaja com frequência e nunca teve problemas com companhias aéreas pode se considerar tão sortudo quanto um ganhador de loteria. É voo que atrasa, bagagem que foi extraviada ou quebrada, conexão perdida e muita incomodação em caso de qualquer imprevisto – seja por sua parte, culpa do clima ou mesmo da empresa responsável pelo voo. Para evitar dores de cabeça quando viajar de avião, selecionamos algumas dicas importantes para você ficar por dentro dos seus direitos, deveres e ir tranquilo:

 

#1. Leia o “regulamento”

Quando encontramos uma passagem em promoção, a vontade é de comprar rápido antes que o preço mude. É verdade que as boas promoções acabam rápido, mas vale lembrar que nem tudo é tão bom quanto parece. Por isso, confira o regulamento com atenção. Informe-se sobre as multas em caso de cancelamento ou alteração de data e nome do passageiro. Por mais que você não pense em mudar datas, nunca se sabe o dia de amanhã. E um pequeno erro no nome em companhias como a Ryanair pode custar muito mais caro do que o preço da passagem original.

 

#2. Saiba quando você pode se arrepender

dicas-viajar-de-aviao-

No Brasil, o Código de Defesa do Consumidor sinaliza que é possível desistir de uma compra de passagem aérea em até 7 dias. O Art. 49  diz: O consumidor pode desistir do contrato, NO PRAZO DE 7 DIAS a contar de sua assinatura ou do ato de recebimento do produto ou serviço, sempre que a contratação de fornecimento de produtos e serviços ocorrer FORA DO ESTABELECIMENTO COMERCIAL, especialmente por telefone ou a domicílio. Parágrafo único. Se o consumidor exercitar o direito de arrependimento previsto neste artigo, os valores eventualmente pagos, a qualquer título, durante o prazo de reflexão, serão devolvidos, DE IMEDIATO, monetariamente atualizados.

Claro que isso talvez exija um esforço seu para buscar o PROCON ou Ministério Público. Vale reforçar que a aplicação mais imediata desse direito é na venda por catálogo, por telefone (telemarketing), pelos correios (mala direta), pelos meios eletrônicos (internet) ou anda pela TV, mas a Internet também pode ser considerada, já que o consumidor está menos preparado para compra, ou sofrendo influências, do que quando a decisão o motiva a sair de casa e ir até o estabelecimento.

 

#3. Cancele ou remarque bilhete por falecimento de parente

São muitas as reclamações de brasileiros que não conseguiram a devida atenção das companhias aéreas nacionais na hora em que mais precisaram. Cancelamento ou remarcação de passagem viram um problema quando a perda de um parente acontece de forma inesperada e o bilhete não foi comprado com o seguro que garante e flexibilidade de trocas. As empresas estrangeiras, no entendo, já estão mais acostumadas a reembolsar ou reajustar a passagem nesses casos.

A Comissão que regula a aviação na Irlanda, por exemplo, prevê benefícios para os passageiros em caso de mudança da programação de viagem por morte de parente

Para a Ryanair, o falecimento de parente imediato permite o reembolso da passagem aérea integral se acontecer dentro dos 28 dias que antecedem a viagem e parcial caso a viagem já tenha começado. A companhia ainda aplica a mesma regra para o acompanhante de voo.

Outras companhias, como KLM, Airfrance e British também seguem a mesma política. No balcão de atendimento do aeroporto os atendentes podem não explicar o procedimento e cobrarem para fazer o ajuste, mas por telefone ou no site das empresas você descobre que existe essa opção em caso de falecimento de parentes como pais, avós, filhos.

 

#4. Fique de olho na sua bagagem

dicas-viajar-de-aviao-2

Se sua bagagem for extraviada, a mala estragada ou chegará com atraso você pode reclamar. Na Irlanda, por exemplo, vá ao Centro do Consumidor, o endereço é Macro Centre, 1 Green Street, Dublin 7 e o telefone o + 353 (0)1 8797620.

No Brasil, o Artigo 14 do Código do Consumidor prevê a garantir da prestação do serviço pela empresa que oferece tal serviço. Mas os voos internacionais, além de estarem protegidos pelo Código do Consumidor também segue a Convenção de Varsóvia, que contém normas específicas sobre o transporte de pessoas e objetos. Pela Convenção, a indenização devida ao turista que tem sua bagagem extraviada é limitada à cerca de vinte dólares americanos por cada quilo contido na mala, quando declara seu conteúdo, ou quatrocentos dólares pela bagagem de cada passageiro, quando não declarada. A orientação é para que você busque seus direitos primeiro conversando com a companhia e, se necessário, procure os órgãos de defesa do consumidor.

 

#5. Cuidado com as conexões não-vinculadas

Quando a conexão é vinculada, a companhia aérea se responsabiliza quase que de forma imediata sobre os ajustes necessários para garantir a continuação de sua viagem até o destino final. Mas se você comprou as passagens separadas é bom ter cuidado. A dica é buscar sempre tempo extra para evitar imprevisto, no mínimo uma hora para voos domésticos e duas horas para conexões em voos internacionais. Porém, ainda assim, você corre riscos de se incomodar. Quatro horas seria o tempo mais indicado para não ter que discutir muito com a companhia sobre seus direitos.

De uma maneira geral, existem cinco principais causas de atrasos e cancelamentos de voos: condições climáticas (névoa baixa, chuva ou vento forte, neve etc.), manutenção não programada na aeronave, excesso de tráfego aéreo (muito comum no Brasil), problemas com a tripulação ou falta de tripulação (piloto ou comissário que faltou ao serviço) e volume de ocupação no voo (inferior a 30% que faz empresa juntar com outro voo mais tarde).  Por isso, fique atento ao histórico das companhias e aeroportos, evite feriados e período de férias. Se tiver algum problema, busque seus direitos de reembolso ou remarcação com educação, mas com conhecimento. Segunda a Aviação Civil a empresa que oferece o serviço deve garantir uma atenção especial em caso de atraso ou cancelamento de voo.

O artigo 231 do Código do Consumidor diz que cabe ao passageiro optar pelo endosso do bilhete de passagem ou pela imediata devolução do preço em caso de atraso que resultou em perda da conexão seguinte. Segundo informa o Procon, independentemente da modalidade e do tempo de atraso, caso o passageiro sofra prejuízos, há a possibilidade de ajuizar uma ação indenizatória por danos morais e patrimoniais.

Fique atento e boa viagem!

Quer saber como acumular as milhas aéreas quando viajar de avião? Saiba aqui!

To Top