Um roteiro de férias pela América do Sul - DPB Intercâmbio
Connect with us

Um roteiro de férias pela América do Sul

roteiro-San-Pedro-de-Atacama-Chile

Dicas de Viagem

Um roteiro de férias pela América do Sul

Se você quer aproveitar suas férias para viajar, uma boa ideia pode ser a viagem de carro pela América do Sul. É um passeio culturalmente rico, repleto de pontos incríveis e que pode ser feito com baixo orçamento. A dica de roteiro de férias que trago aqui é da social media Camila Peixer, 25 anos, que fez uma viagem de 15 dias junto com o namorado e um amigo, entre o final de 2015 e o começo de 2016.

Eles saíram de Santa Catarina, e passaram por 21 cidades, localizadas na Argentina, Bolívia, Peru e Chile. Camila calcula que os gastos totais tenham sido em torno de R$ 4 mil para cada, incluindo estadia em campings, hostels, a gasolina do Fiat Strada cabine dupla e o passeio até Machu Picchu, que eles fizeram por uma agência de turismo. Quer se inspirar na viagem dela? Então se liga:

As principais cidades

O ponto de partida foi a cidade de Timbó, em Santa Catarina, no dia 26 de dezembro. De lá, o trio seguiu para a Argentina. Uma das paradas na terra dos nossos hermanos foi em San Salvador de Jujuy. “Onde passamos pela estrada de chão de 280 quilômetros”, conta Camila, que listou os lugares mais marcantes da viagem, seguindo a ordem do roteiro de férias.

roteiro-San-Salvador-de-Uruy-Argentina

Em Uyuni, na Bolívia, está localizado o deserto de sal. Também na Bolívia, Tiwuanako tem um sítio arqueológico incrível,  onde estão as famosas pedras em H, pirâmides e ruínas de civilizações Incas. Ainda na Bolívia, Camila passou por Copacabana.

roteiro-salar

roteiro-Salar-Uyuni-Bolivia

Para chegar na cidade pegamos uma balsa no lago Titicaca (o lago navegável mais alto do mundo). Em Copacabana, passamos a virada do ano e no dia 31 de dezembro fomos para a Ilha do Sol e a Ilha da Lua, que curiosamente são ilhas que nunca tiveram ligações de terras com Copacabana, porém é onde estão localizamos incríveis ruínas de antigas civilizações Incas.

Da Bolívia, seguiram rumo ao Peru, onde passaram por cidades como Kasani e Puno até chegar em Cusco.

No primeiro dia em Cusco nos dedicamos a conhecer a cidade, que é bem história com construções maravilhosas.

Para quem pretende ficar em camping, Camila dá a dica do LALA, em Cusco. Entre os pontos positivos estão o atendimento, bom funcionamento do wifi e as instalações. Além disso, a proprietária deu dicas sobre como chegar até Machu Picchu sem precisar fechar pacote com agências de turismo, caso o grupo quisesse ir até lá de forma independente.

Machu Picchu

Como era de se esperar, Machu Picchu foi um dos lugares mais surpreendes da viagem. “Nos conectamos de uma forma inexplicável com a história daquele local”. 

roteiro de férias em Machu Picchu

Para chegar lá, eles tiveram que pegar van, trem e ônibus, e optaram por seguir com guia turístico nas primeiras duas horas. Depois, passaram mais quatro horas explorando a cidade. “Machu Picchu tem uma arquitetura muito curiosa e inteligente. O guia nos explicou tudo”, conta.

Peru

O destino seguinte do roteiro de férias foi São Pedro do Atacama, no Chile, onde chegaram no dia 5 de janeiro.

roteiro-Deserto-de-Atacama-Chile

Ao atravessar a fronteira do Chile, foi impossível não notar as belezas da paisagem, com estradas perfeitas cercadas por desertos. Camila conta que a cidade é movimentada, o que garantiu uma programação cheia de atividades.

Fomos para um passeio noturno para ver as estrelas em um tour astronômico. E no dia seguinte seguimos para o deserto, onde passamos por montanhas gigantes de sal em meio ao deserto.

roteiro-Sao-Pedro-de-Atacama-Chile

roteiro-Vale-de-la-Luna-Chile

roteiro-Sitio-Arqueológico-Puma-Punku-Bolivia

Outros passeios marcantes foram o Vale de la Luna que como o nome sugere, é como a superfície da lua; e a Laguna Cesar, onde estão localizamos alguns lagos de água salgada formados por rochas dos vulcões ali próximos. São aqueles lagos com alta concentração de sal que fazem o corpo ficar boiando na superfície.

Então em meio à vegetação verde, no deserto, e com vista para um vulcão que está a 5916 metros, estamos tomando banho em um dos lagos. Foi maravilhoso!

Para entrar no Vale de la Luna e na Laguna Cesar tem que pagar, mas, de acordo com Camila, o preço é justo e garante a conservação e o cuidado dos locais.

De lá, partiram de volta para o Brasil. Ao todo, foram aproximadamente 11 mil km rodados. Para quem quer fazer o mesmo, Camila lembra dos cuidados com a manutenção do carro para evitar imprevistos e estar preparado para pequenos contratempos.

“Todos cobraram 3 vezes mais o valor da gasolina… Acredito que seja regra, pois em todos os países aconteceu isso. E em algumas cidades pequenas, eles nem abasteciam para estrangeiros”. Essa, felizmente, é a única reclamação

Confira também: A brasileira que foi buscar na Argentina inspiração para sua arte

Carolina tem diploma de jornalista e sonho de ser escritora. Gosta de conhecer lugares e pessoas. Um dia pensou em se encontrar, mas já desistiu dessa loucura. www.carolbtr.com

Click to comment
To Top