Um rolê alternativo (e barato) pelas ruas de Bruxelas
Connect with us

Um rolê alternativo (e barato) pelas ruas de Bruxelas

XaHmgL6s4iULs4xfkRg3de26mz6M1wUaeMMA3g5d

Passeios

Um rolê alternativo (e barato) pelas ruas de Bruxelas

Durante o mochilão que fiz no verão do ano passado, as ruas de Bruxelas foram uma das surpresas mais agradáveis de toda a viagem. Cheguei lá sem expectativa alguma, na verdade só visitei a cidade porque a passagem estava realmente muito barata (€15). Eu não conhecia nem havia feito qualquer pesquisa sobre a cidade. Sabia da fama belga sobre os chocolates, cervejas, crepes, e só. Desembarquei no aeroporto, peguei um ônibus até o centro da cidade e pensei: e agora?

Peguei meu celular, encostei num café que tinha wi-fi e comecei a pesquisar as opções de lazer ao redor, levando em consideração que eu não queria gastar muito dinheiro. Resultado: um dos rolês mais bacanas da minha vida. E se você também está indo para Bruxelas sem saber muito bem o que visitar por lá, esse roteiro pode ser útil.

Grand Place of Brussels

ruas-de-bruxelas

De cara o mapa me dizia para visitar a praça em frente ao Grande Palácio de Bruxelas. De fato ela é linda, cercada por prédios históricos, bares e restaurantes. A praça funciona como uma espécie de marco zero da cidade, é a partir dali que tudo acontece, como se fosse o principal ponto de encontro dos moradores. Para um roteiro de um dia de passeio, este pode ser seu ponto de partida e de retorno. Durante o dia, você encontrará ao redor da praça dezenas de lojas de chocolates. Que tal começar degustando um deliciodo wafle, que é uma das iguarias da culinária belga? Outra dica: tente passar pela praça também à noite, quando os prédios estão todos iluminados. A vista é encantadora e você pode encerrar o passeio em um dos bares ao redor.

ruas-de-bruxelas

Eu lembro que na época tive sorte ao chegar na praça. Rolava por lá uma competição de um esporte que eu não faço ideia do nome, mas parecia divertido! Tentei pesquisar mas não encontrei, mas o que sei é que funcionava mais ou menos como a nossa popular queimada (ou mata-soldado), mas era jogado com uma bola que parecia de tênis e a galera descia o braço pra valer. Não sei se o objetivo era fazer ponto, ou deixar marca nos adversários, mas foi divertido assistir.

E paralelo a isso, uma explosão de fofura: o encontro nacional de Mastins Napolitanos também estava rolando e cara, que tanto de cachorro lindo por metro quadrado! Enfim, qualquer que seja a data que você vai passar por Bruxelas, vale pesquisar antes: há grandes chances de você presenciar um evento bacana ou, no mínimo, inusitado.

 

Conheça também: Bruges, a cidade mais charmosa da Europa

 

Manneken Pis

ruas-de-bruxelas

Se tem uma coisa que com certeza vai te intrigar caso, assim como eu, você não tenha lido o manual de Bruxelas antes de desembarcar por lá, é o que diabos significa aquele bonequinho fazendo xixi?

Bom, lá vai um pouquinho de história. O Manneken Pis (quem em português significa garoto a urinar) é um monumento de bronze, com apenas 61cm de altura que passa 24h por dia “urinando” em uma bacia em frente a ele. A inspiração para tão famosa estátua continua desconhecida, e o mistério levou à criação de rumores e lendas, aumentando o encanto deste rapazinho.

Uma das histórias que ouvi por lá diz que, no final do século XII, o filho de um duque foi encontrado a urinar contra uma árvore no meio de uma batalha e foi por isso homenageado numa estátua de bronze, que simboliza a coragem militar do país.

 

A história de Tintin

ruas-de-bruxelas

Para quem não sabe, o eterno herói dos quadrinhos e do cinema é belga. Aliás, essa era uma das poucas certezas que eu tinha antes de chegar por lá. Além do repórter e seu cachorrinho Milu, os Smurfs e o caubói Luke Luke também são de lá.

Como uma maneira de promover os personagens e trazer um pouco mais de cor à cidade, surgiu em 1991 um projeto com o objetivo de realizar pinturas de histórias em quadrinhos em áreas públicas. O que começou com um projeto pequeno, apenas para dar um pouco de vida aos muros e laterais de prédios, mais de 20 anos depois é um sucesso de crítica e público, atraindo turistas interessados em conhecer não apenas o centro histórico, museus, parques e gastronomia de Bruxelas, mas sentir-se parte das histórias representadas nos painéis e, porque não, matar saudades da infância.

Atualmente são mais de 50 desenhos pelo centro da cidade, mas os de Tintim tem um “quê” a mais, e nos levam para dentro da história. Para que encarnemos o personagem investigativo, cada painel tem uma dica de para onde você deve seguir para encontrar o próximo desenho do garoto.

 

Galeria: A bela combinação de neve e street art pelas ruas de Berlim

 

Delirium Café e a Janneke Pis

ruas-de-bruxelas

Existia alguma chance de eu por Bruxelas e não tomar alguma cerveja? NOPE.

Além do Tintim, outra coisa que eu já sabia é que a Delirium, aquela cerveja do rótulo azul com o elefantinho rosa, é belga. Para quem ainda não sabe, a cerveja está para os belgas como o vinho está para os franceses, ou até mesmo o whisky para os escoceses.

O Delirium Café fica localizado bem próximo à Grand Place, no centro de Bruxelas, e tem como donos os mesmos responsáveis pela cervejaria Huyghe, produtora da Delirium. E o que faz desse bar algo especial? Bom, nada mais, nada menos do que sua carta com mais de 2 mil cervejas diferentes. A maior do mundo, que mereceu até reconhecimento do Guinness Book.

Pra quem gosta do famoso mé, suquinho de cevadis, bera, canjibrina… Esse é o lugar.

Ah e antes que eu me esqueça, a Janneke Pis que citei ali no tópico é outro monumento de bronze da cidade, esse fica bem em frente ao bar e é a versão feminina do Manneken – que assim como ele não tem lá uma história definida de sua origem.

ruas-de-bruxelas

Inaugurada em 1987, acredita-se que está ali como forma de atrair mais turistas ao bairro.

Bom, não custa nada bater uma fotinho pra posteridade, né?

 

Confira: Três museus em Amsterdã para quem quer conhecer o “lado b” da cidade

 

Bônus

por Carolina Bataier

Se você gosta de arte, vale tirar uma tarde para conhecer os museus da cidade. Na Place Royale ficam alguns, entre eles o que homenageia o pintor belga René Magritte. O espaço faz jus à obra do artista surrealista, e foge do convencional: há salas escuras onde somente os quadros recebem iluminação e atraem nosso olhar, frases nas paredes e exibição de vídeos. Quer mais? Fica ao lado do Museu de Belas Artes, outro lugar encantador, para fechar seu roteiro cultural. Os museus ficam a apenas 10 minutos de caminhada da Grand Place, onde iniciamos nosso roteiro.

ruas-de-bruxelas

Onde: Rue de la Régence, 3.
Quando: diariamente, das 10 às 17h.

Publicitário de formação. Imigrante por opção. Viajante em movimento. Encontrou no DPB uma forma de unir as duas coisas que mais gosta, escrever e viajar. Divide sua vida entre carimbos novos no passaporte e documentos editados no word.

To Top